Área Restrita

Palestra Projeto Onda Azul

Data 03/05/2012 | - Hora 21:09
Postado por Aluna Laila Vitória Ferraro Franzoi Ibrahim - IDP
0 comentário(s) ...

 
 
 No dia 17 de abril do corrente ano, passamos um dia diferente. A novidade foi a palestra  sobre a preservação de animais aquáticos, entre eles o tubarão. Esta palestra foi proferida por Paulo Guilherme, responsável pelo projeto “Onda Azul”, nas escolas. Participaram desta formação todos os alunos dos períodos matutino e vespertino.
A Companhia Onda Azul, através de seu representante,  relatou-nos a absurda matança dos tubarões: pescadores cortam-lhes as barbatanas e ainda vivos os jogam no mar. Mais de cem milhões de tubarões morrem todos os anos no mundo e as barbatanas, tão procuradas, são minimamente usadas em uma sopa de frango na China.
Aprendemos que essa matança causa impacto pernicioso ao meio ambiente marinho e que estamos colocando em risco a nossa própria sobrevivência, porque, grande quantidade de ar é renovada no mar, através dos plânctons (responsáveis pela captação de gás carbônico).
Foi um dia com muito aprendizado; além de ser muito divertido.
Os alunos questionaram e gostaram da palestra. Saímos pensando em ajudar a mudar essa situação. Este projeto é muito legal! O Instituto Divina Pastora ofereceu-nos mais uma oportunidade  de mudança para um mundo melhor.
 
Laila 3ª série A/ Ensino Médio.

 


Leia Mais...


Ecologia

Data 03/05/2012 | - Hora 20:13
Postado por Irmã Angela Biagioni
0 comentário(s) ...

 Código Florestal e pedido de Referendo Popular
- Artigo de Leonardo Boff -
 
 
Lamento profundamente que a discussão do Código Florestal foi colocada preferentemente num contexto econômico, de produção de commodities e de mero crescimento econômico. Isso mostra a cegueira que tomou conta da maioria dos parlamentares e também de setores importantes do Governo. Não tomam em devida conta as mudanças ocorridas no sistema-Terra e no sistema-Vida que levaram ao aquecimento global.
 
Este é apenas um nome que encobre práticas de devastação de florestas no mundo inteiro e no Brasil, envenenamento dos solos, poluição crescente da atmosfera, diminuição drástica da biodiversidade, aumento acelerado da desertificação e, o que é mais dramático, a escassez progressiva de água potável que atualmente já tem produzido 60 milhões de exilados.
 
Aquecimento global significa ainda a ocorrência cada vez mais frequente de eventos extremos, que estamos assistindo no mundo inteiro e mesmo em nosso país, com enchentes devastadoras de um lado, estiagens prolongadas de outro e vendavais nunca havidos no Sul do Brasil que produzem grandes prejuízos em casas e plantações destruídas.
 
A Terra pode viver sem nós e até melhor. Nós não podemos viver sem a Terra. Ela é nossa única Casa Comum e não temos outra.
 
A luta é pela vida, pelo futuro da humanidade e pela preservação da Mãe Terra. Vamos sim produzir, mas respeitando o alcance e o limite de cada ecossistema, os ciclos da natureza e cuidando dos bens e serviços que Mãe Terra gratuita e permanentemente nos dá.
E vamos sim salvar a vida, proteger a Terra e garantir um futuro comum, bom para todos os humanos e para a toda a comunidade de vida, para as plantas, para os animais, para os demais seres da criação.
 
A vida é chamada para a vida e não para a doença e para morte. Não permitiremos que um Código Florestal mal intencionado ponha em risco nosso futuro e o futuro de nossos filhos, filhas e netos. Queremos que eles nos abençoem por aquilo que tivermos feito de bom para a vida e para a Mãe Terra e não tenham motivos para nos amaldiçoar por aquilo que deixamos de fazer e podíamos ter feito e não fizemos. O momento é de resistência, de denúncia e de exigências de transformações nesse Código que modificado honrará a vida e alegrará a grande, boa e generosa Mãe Terra.
 
Agora é o momento da cidadania popular se manifestar. O poder emana do povo. A Presidente e os parlamentares são nossos delegados e nada mais. Se não representarem o bem do povo e da nação, de nossas riquezas naturais, de nossas florestas, de nossa fauna e flora, de nossos rios, de nossos solos e de nossa imensa biodiversidade perderam a legitimidade e o uso do poder público é usurpação. Temos o direito de buscar o caminho constitucional do referendo popular. E ai veremos o que o povo brasileiro quer para si, para a humanidade, para a natureza e para o futuro da Mãe Terra.
 

Quarta-feira, 2 de maio de 2012

Disponível no site: www.ihu.unisinos.br/noticias


Leia Mais...


Fim à escravidão no Brasil

Data 02/05/2012 | - Hora 21:44
Postado por Irmã Angela Biagioni
0 comentário(s) ...

Em poucos dias, o Congresso pode votar uma histórica reforma constitucional que pode punir pessoas que mantenham escravos e confiscar terras onde forem encontradas pessoas escravizadas para reforma agrária. É a legislação mais forte que já propuseram para lutar contra o flagelo do trabalho escravo no Brasil.

É inaceitável que, no século 21, o horror da escravidão ainda assombra todos os cantos do país - à medida que centenas de milhares pessoas são escravizadas atualmente. No mês passado, adultos e crianças foram resgatados de uma fazenda cujo proprietário era um deputado estadual! Eles moravam em pequenas barracas e bebiam da mesma água suja que as vacas e outros animais.

Agora é hora de agir. Nosso protesto em todo o país pode forçar o Congresso a fazer os donos de fazenda pagarem o preço por torturarem ou escravizarem seus concidadãos.

Os livros escolares nos ensinam que a escravidão foi abolida há 124 anos pela princesa Isabel, mas a verdade é que ainda hoje há pessoas que vivem na escravidão - os mais pobres de nós são levados a acreditar em empregos prósperos, mas acabam arriscando suas vidas em plantações de cana-de-açúcar, carvoarias, criação de gado, prostituição e outras atividades. Muitas vezes eles são literalmente forçados a trabalhar com uma arma apontada para suas cabeças.

Uma chave para acabar com a escravidão está prestes a ser entregue ao Congresso. Vamos abafar o lobby dos ruralistas, que querem acabar com essa Proposta de Emenda à Constituição (PEC), e aumentar o coro retumbante para derrotar o vergonhoso mercado da escravidão do Brasil de uma vez por todas. Assine a petição e encaminhe para todos:

www.avaaz.org/po/stop_slavery_in_brazil/

Cada vez mais, vemos que o poder popular pode fazer o impossível. A escravidão é uma crise que afeta todo o planeta e temos uma chance de encabeçar a abolição. O Congresso deu o primeiro passo, agora podemos ajudar a alcançar um Brasil livre de escravos.

Com esperança,

Pedro, Emma, Diego, Laura, Carol, Ricken e toda a equipe da Avaaz.

 

Outras fontes de referências ao tema:

 www.redebrasilatual.com.br

www1.folha.uol.com.br

congressoemfoco.uol.com.br

Esse texto foi extraído do site da AVAAZ que é uma rede de campanhas globais de 14 milhões de pessoas que se mobiliza para garantir que os valores e visões da sociedade civil global influenciem questões políticas internacionais.


Leia Mais...


Navegue nos posts anteriores...