Área Restrita
Textos do Fundador

Maria em Nazaré


O Bem-aventurado Tiago Alberione apresenta-nos a simplicidade da vida de Maria em Nazaré como modelo para o nosso seguimento a Cristo no cotidiano. Para uma melhor assimilação do conteúdo, vamos seguir os passos do método Verdade-Caminho-Vida deixado por ele como herança aos membros da Família Paulina.
 
MARIA EM NAZARÉ
 VERDADE -CONHECER
 
O objetivo principal e último da nossa vida é ir para céu, porque esta é a vontade de Deus para nós: Porque esta é a vontade de Deus, a vossa santificação (1 Tes 4,3). Devemos santificar a vida cotidiana como Maria, nosso modelo sublime, santificar toda a vida terrena. [...]
Maria andou nos caminhos de Deus de maneira exemplar. Já de pé ao canto do galo para preparar o pão e ir à fonte, preparava as refeições para a família, e, portanto fiava, tecia, cozinhava e se dirigia à fonte para lavar as roupas, consertava roupas e cobertas para os pobrezinhos como está escrito: “Estenda a mão ao pobre, e você será plenamente abençoado. Que sua generosidade se estenda a todos os seres vivos, e não negue sua atenção nem aos mortos. Não evite aqueles que choram, e sofra com os que sofrem. Não demore para visitar um doente, porque isso fará com que você seja amado. Em tudo o que você faz, lembre-se do seu fim, e jamais pecará" (Eclo 7, 32-36).
Penetremos um momento na casa de Nazaré, onde viveu a família mais santa, esforcemo-nos para levantar o véu que oculta aos nossos olhos a vida íntima de Maria em Nazaré; iluminemos a pupila da nossa mente com a luz da fé e com o calor da nossa piedade. Como foi a vida de Maria em Nazaré?
É uma vida simples, ordenada, invejável até para os anjos, aquela que Nossa Senhora viveu por trinta anos na casa de Nazaré. Se transportarmos as paredes daquela casa para a nossa realidade, parece nos repetir as humildes, mas maravilhosas coisas que ali se realizaram. A vida de Maria pode ser resumida em três palavras: vida de oração, de trabalho, de humilde caridade.
 I. VIDA DE ORAÇÃO. - Podemos dizer que o coração de Maria foi como um incensário perene para o incenso, uma lâmpada perpétua para a luz da oração mais fervorosa e mais incessante. [...]
Maria meditava a S. Escritura, lia-a muitas vezes e conservava as palavras no seu coração. [...] Maria formou na escola da Sagrada Escritura S. o seu estilo e nela bebia o alimento da sua fé e a pastagem de sua piedade. Ela estava sempre absorta em Deus [...]
O que dizer então das orações que fazia na casa de Nazaré em união com Jesus e José? Maria praticou ainda a oração vital. [...] Maria oferecia a Deus o valor satisfatório de suas boas obras, a fim de que ele teve misericórdia dos pobres pecadores; o valor impetratório para a glória de Deus e a salvação das almas [...].
A vida de Maria foi oração vital, porque suas ações foram as mais perfeitas que se possa: desde as mais simples, tais como remendar roupas e fazer as tarefas domésticas, às mais nobre, tais como a oração e a contemplação. A Casa de Nazaré era, por isso mesmo, o seu Templo, o Santuário mais importante que talvez tenha existido porque ali viveu Jesus, Maria e José; ali Deus recebeu o maior louvor, dali subiam até seu trono as mais belas orações.
Nossa oração é parecida com a de Maria? Peçamos a graça de adquirir a união habitual com Deus, de rezar sempre bem e que todas as nossas ações seja um hino de louvor à Ssma. Trindade.
 II. VIDA DE TRABALHO. [...] O trabalho não é somente um mandato natural, mas preceito divino: Jesus Cristo mesmo deu o exemplo: "Começou a fazer e ensinar" (Atos, 1,1). E Maria, a mais perfeita imitadora de Jesus, imitou-o também no trabalho.
Na casa de Nazaré Maria viveu uma vida de incessante laboriosidade, de total dedicação ao próprio dever e de sacrifício. [...] Que exemplo ela é também para nós! Devemos santificar nossa vida com o trabalho assíduo e constante, com a fidelidade cotidiana aos nossos deveres. Trabalhemos, trabalhemos, disse São B. Cottolengo, descansaremos no Paraíso! E, São Paulo, apóstolo incansável: Enquanto temos tempo, pratiquemos o bem" (Gal 6, 10).
 III. A VIDA DE MARIA FOI VIDA DE HUMILDE CARIDADE.
S. Anselmo Escreveu: "quanto mais um coração é puro e vazio de si mesmo, tanto mais ele será cheio de amor a Deus e ao próximo". Quem é que foi mais pura e mais humilde do que Maria? Por isso, ela ultrapassa a todos os homens e Anjos no amor para com Deus e para com as pessoas, porque não é possível amar a Deus sem amar o próximo que é a sua imagem viva.
O coração de Maria foi um oceano da caridade e de amor divino [...] Deus, que é amor, veio à terra para acender em todos a chama do amor divino, mas não inflamou a ninguém mais quanto ao coração de sua mãe, que, puro dos afetos terrenos, estava aberto para deixar arder em si este fogo sagrado.
O Coração de Maria era uma verdadeira fornalha ardente de caridade divina, que se dilatava em duas chamas, uma em relação a Deus e outra com relação ao próximo. Quem de fato ama a Deus, diz S. Tomás, ama todas as coisas amadas por Deus. Mas Deus ama o ser humano com um amor infinito: também Maria, o amou com terna caridade. E entre o próximo a se preferir estão as pessoas mais próximas, aquelas que partilham conosco as alegrias e tristezas da vida diária. A caridade de Maria manifestou-se em primeiro lugar para Jesus e S. José.
Não devemos acreditar que a casa de Nazaré estava livre de qualquer dor e que as pessoas santas que nela moravam, não fossem nunca causa de sofrimento mútuo. O Senhor permitiu também os mal-entendidos, os sofrimentos, para que os membros da S. Família se santificassem sempre mais e que pudéssemos receber exemplo de caridade e paciência, e praticar o dito de S. Paulo: "carregai os fardos uns dos outros e assim cumprireis a lei de Cristo" (Gal 6, 2). (Maria nostra Speranza Mese di Maggio Vol. III, pp. 115-120)
 
  CAMINHO – DISCERNIR
O modo de ser e viver de Maria de Nazaré, que luzes traz para o meu cotidiano na família, comunidade, sociedade? O que me ensina? Que conversão Deus me pede? Que atitudes, gestos preciso cultivar?
   VIDA -VIVER
 ORAÇÃO: Ó Deus, que na tua misericórdia consagrastes, mediante o mistério da Encarnação do Verbo, a casa da Bem-aventurada Virgem Maria, concedei-nos viver unidos a vós para que sejamos dignos de habitar na tua santa Casa. Amém. 
Iluminado pelo texto procuro no meu dia a dia, no lugar onde estou, colocar em prática os apelos sentidos a partir do estudo feito.

Primeira | Anterior |   1    2     3     4     5   | Próxima | Última