Área Restrita
Textos do Fundador

A fé fundamento da vida cristã


O Bem-aventurado Tiago Alberione nos motiva, neste Ano da Fé proposto pela Igreja, a aprofundar a nossa fé. Para uma melhor assimilação do conteúdo, vamos seguir os passos do método Verdade-Caminho-Vida deixado por ele como herança aos membros da Família Paulina.
  
A fé fundamento da vida cristã
 
 VERDADE - CONHECER
 
“Uma casa pode elevar-se até dez andares se o fundamento/alicerce é bem estável. Certas pessoas tem boa vontade, mas porque lhes falta a fé, desanimam no momento da prova. Quando existe fé, todo sacrifício é alegria, todo esforço é mérito”. (PrP III 1948, p. 160)
“Existe grande diversidade entre as pessoas. Elas poderiam ser divididas em duas categorias: aquelas que não acreditam e aquelas que acreditam, a essas duas pode ser acrescentada uma terceira: aquelas que acreditam pouco. Aquelas que não acreditam nos bens eternos que Deus criou, não acreditam senão na vida presente, e assim, não cuidam senão de estar bem e de evitar o sofrimento; vivem uma vida egoísta, pensam somente neste mundo e se chamam mundanas. [...]
Pode-se também estar ajoelhados, e ao invés de rezar, estar distraídos. Existem pessoas que receberam a fé, mas não a vivem; recitam alguma fórmula de fé e basta. A fé viva produz frutos. [...] Uma fé frágil, não produz mais a caridade. A fé está no coração e não se vê, não se toca, está escondida, mas os frutos não estão escondidos: pelas obras conhecereis os frutos do coração. Jesus dizia: «A tua fé te salvou» (Lc 7, 50). Há muita diferença entre ter somente um pouco de fé e ter uma fé profunda.
“Agora uma frase que sirva para aumentar em nós a vontade: viver de fé. Ter espírito de fé. Uma planta que cresça robusta, espalhe os ramos e produza folhas, flores e frutos, porque tem uma raiz sadia e bem nutrida. A fé é a raiz. Quando uma alma tem o espírito de fé, pensa e fala sobrenaturalmente. Quando, ao invés, a raiz não é nutrida, a planta não cresce, não dá folhas, nem flores, nem frutos. Por isso, é necessário olhar para a raiz. (PrP VII 1954, p. 13)
“O sobrenatural. Apoiar-se no sobrenatural que é a primeira e a principal parte do apostolado. A fé. [...]. Oh, sim. Isso para a vida pastoral, para a ação pastoral. Mas é particularmente no trabalho da santificação que existe o humano e o divino, ou seja, o natural e o sobrenatural. E, portanto, pensar nas nossas deficiências e pensar que nós não podemos nada sem a graça de Deus, sem o auxílio de Deus: sem mim vocês não podem fazer nada [Jo 15,5], disse Jesus, não podeis fazer nada. O mínimo mérito se pode fazer, o mínimo mérito.
E seria como plantar uma plantinha que dentro já não tem a linfa, não tem mais a vida. E então, dali a pouco seca e precisa ser arrancada, sim. Portanto para crescer na vida espiritual é necessária a fé. A fé, porque: sem mim vocês não podem fazer nada [Jo 15,5]. Sem Jesus não podemos fazer nada, é preciso a sua graça. Mas numa alma que vive na humildade e na fé, eis: a linfa que está numa planta é aquela que passa no tronco, ou seja, ao ramo: «Eu sou a videira» [Jo 15,5], ou seja, a árvore. «Eu sou a videira e vós os ramos» [Jo 15,5]. E como o ramo vive? Como esse tronco, ou melhor, este ramo, colocará fora as folhas, as flores e os frutos? É preciso que essa linfa da planta chegue até os ramos, ou seja, a nós, a mesma linfa. Eis”. (AAP 1965, 200-203)
[...] O ano da fé. Crescer em nós o espírito de fé. [...] Ver as coisas com o olhar de Jesus, com o olhar sobrenatural. Muitos raciocínios que são humanos não são inspirados na fé. Então se pode crescer dia a dia, mas especialmente de ano em ano, na fé, sim. Isso ao mesmo tempo virá a ser a base, porque toda a vida cristã, e tanto mais a vida religiosa deve em tudo basear-se sobre a fé. Sobre a fé.
Depois, sobre a fé se constrói a esperança e, depois a fé e a esperança, se constrói a caridade. A caridade: o amor a Deus e a caridade para com o próximo. Especialmente no apostolado que vocês realizam, é caridade o apostolado de vocês, é fé e caridade”. (AAP 1967, 573-575)
“O Papa Paulo VI declarou que este é o tempo ideal da fé, o tempo da fé. [...] Então, neste tempo pedir ao Senhor uma profunda fé. Profunda fé [...]. Portanto segundo o Papa que neste ano nós sigamos e aprofundemos a fé e alarguemos a fé. Aprofundar a fé e alargar a fé”. (AAP 1967, 655ss)
  
 CAMINHO - DISCERNIR
 
Confronto o texto com o meu modo de viver a fé cristã... Que luzes me traz? Qual conversão o Senhor me pede a partir do texto?
 
 VIDA -VIVER
 
ORAÇÃO: Meu Deus, porque sois verdade infalível creio firmemente em tudo o que revelastes e a santa Igreja nos propõe a crer. Particularmente creio em vós, único verdadeiro Deus, em três pessoas iguais e distintas, Pai, Filho e Espírito Santo. E creio em Jesus Cristo, Filho de Deus, que se encarnou e morreu por nós, o qual dará a cada um, segundo os méritos, o prêmio ou a condenação eterna. E nesta crença quero sempre viver. Senhor, aumentai a minha fé. (Livro de Orações Família Paulina)
 
Iluminado pelo texto procuro, no meu dia, no lugar onde estou, procuro viver em Cristo os apelos sentidos.
  

Primeira | Anterior |   1     2     3     4     5   | Próxima | Última